sexta-feira, 29 de Janeiro de 2010

Bolo de batata-doce

Estou viciada neste bolo!
Sabor, aroma e textura irresistíveis! Depois de arrefecer fica com uma casquinha deliciosa e um interior húmido e delicioso. È quase como um pão doce mas muito, muito melhor.
Batata-doce, xarope de bordo, azeite e canela…. Divino!
Já o repeti várias vezes, e já abasteci o congelador de dozes individuais de puré de batata-doce, pois tirando essa preparação prévia a confecção do bolo é super fácil, rápida e sem usar nada mais que 2 tigelas e uma vara de arames.

Usei:

1 + ½ Chávena de farinha
½ c chá de sal
1 c chá de fermento
½ Chávena de açúcar
½ Chávena de açúcar amarelo
1 c chá de canela em pó
1 Chávena de puré de batata-doce (+ ou – 2 batatas médias)
¼ Chávena de azeite
2 Ovos
½ Chávena de xarope de bordo (maple syrup)
1 c sopa de água

Fiz assim:

Descasque e corte as batatas em cubos. Coza-as em água abundante até estarem macias.
Reduza-as a puré usando um esmagador ou o passe vite. Reserve.
Prepare uma forma de bolo inglês, untando-a com manteiga e polvilhando com farinha, (se usar spray não é necessário a farinha).
Pré aqueça o forno a 180º.
Peneire a farinha com o fermento, canela, sal e os açúcares. Reserve.
Bata os ovos com o xarope, a água e o azeite, junte o puré de batata e bata mais um pouco.
Adicione os ingredientes secos e misture até ter uma massa homogénea.
Verta a massa para a forma e leve ao forno durante 60 minutos.
Teste a cozedura com um palito, retire do forno e deixe amornar um pouco antes de desenformar sobre uma grade para arrefecer completamente.

Notas:

A batata-doce pode ser assada no forno em vez de cozida.
Para o efeito, enrole cada uma das batatas com a casca em folha de alumínio, até estarem macias.


Receita ligeiramente adaptada de: Vanilla garlic.

quarta-feira, 27 de Janeiro de 2010

4 por 6 - Atum com ovos + Panna cotta de canela

Este prato foi o meu primeiro êxito culinário. Eu tinha uns 7 ou 8 anos quando fiz atum com ovos pela primeira vez e nunca mais deixei de fazer, gosto muito de atum e podia viver só de ovos e leite, diz a minha mãe que sou como as cobras…
Desde há muito tempo que esperava por uma oportunidade de partilhar a receita, não é nenhum prato que mereça destaque pela qualidade, apresentação ou confecção, no entanto pode-nos valer em apertos de tempo ou falta de ingredientes frescos e para além disso é super económico.
Para sobremesa algo mais sofisticado mas muito fácil e rápido, sugiro acompanhar esta panna cotta com compota ou geleia de maçã.
Para acompanhamento do atum pode ser uma salada de alface.
Está então na mesa o 4 por 6 desta semana.



Usei:

1 Lata de 385g de atum em óleo
1 Cebola pequena picada
1 Dente de alho picado
Azeite q.b.
75g de polpa de tomate
4 Ovos
1 Folha de louro
50 ml de vinho branco
500g de batatas
Sal & pimenta

Fiz assim:

Comece por fritar as batatas em cubos. Tempere de sal, escorra sobre papel absorvente e reserve.
Escorra o atum e desfaça-o grosseiramente com um garfo.
Bata os ovos com uma pitada de sal e pimenta.
Aqueça um pouco de azeite e deixe fritar ligeiramente o alho antes de juntar a cebola, deixe amolecer e depois junte o atum e a folha de louro, mexa e deixe absorver os sabores, junte a polpa de tomate e refresque com o vinho, deixe retomar a fervura e mexa ocasionalmente.
Rectifique de sal e pimenta e junte os ovos batidos, mexa até envolver bem mas não deixe os ovos endurecerem demais.
Por fim envolva as batatas fritas e sirva.



Panna cotta de canela



Usei:

2 c chá de brandy
2 c chá de gelatina neutra
2 Chávenas de natas
½ Chávena de açúcar amarelo
1 Pitada de sal
1 Chávena de leite
1 c chá de extracto de baunilha
2 c chá de canela em pó


Fiz assim:

Hidrate a gelatina no brandy. Reserve.
Leve ao lume as natas com o leite, o açúcar, o sal, e a canela.
Mexa até o açúcar dissolver e deixe fervilhar por breves minutos em lume brando.
Retire do lume e junte um pouco do líquido quente à gelatina para dissolver, adicione depois ao preparado principal e junte o extracto de baunilha.
Volte a colocar sobre lume brando mexendo sempre, assim que estiver prestes a retomar a fervura retire do lume e coloque em taças.
Deixe arrefecer e reserve no frigorífico até servir, pelo menos 4 a 6 horas.

Vamos a contas:


Dica de poupança:

Quando fizer omeletas, fritadas ou tortilhas, substitua um dos ovos por um pouco de leite.
Desta maneira para alem de poupar reduz o consumo excessivo de ovos que para certas pessoas pode ser prejudicial.

Sobremesa adaptada daqui.

segunda-feira, 25 de Janeiro de 2010

Perna de peru marinada em laranja e salvia

A coxa do peru é a minha carne preferida para assar no forno. È uma carne suculenta que fica bem com 1001 temperos e cujas sobras são muito versáteis.
Esta marinada foi improvisada no momento, a carne estava fresca e não havia tempo de a confeccionar no próprio dia. De casa dos meus pais tinha vindo um saco de laranjas lindas e sumarentas que acabaram por ditar o principal sabor.


Usei:

1 Perna e coxa de peru
3 Laranjas
1 Ramo de sálvia
5 Dentes de alho
Sal & pimenta
½ Chávena de vinho branco
Manteiga q.b.

Fiz assim:

Tempere a carne com sal e pimenta, junte o alho ralado, o sumo e a casca da laranja, o vinho e a salvia. Cubra e deixe a marinar no frigorífico de um dia para o outro.
Coloque a carne num recipiente de forno, por cima disponha umas nozes de manteiga e junte um pouco da marinada.
Leve ao forno pré aquecido a 180º durante + ou – 45minutos, ou até a carne se encontrar tenra.
Se necessário, a meio da assadura junte mais um pouco do liquido da marinada.

Notas:

Pode substituir a salvia por folhas de louro.
Acompanhe com batatas assada, salada de legumes crus ou cozidos.

sexta-feira, 22 de Janeiro de 2010

Friands de cacau e avelã

Não era esta a receita que tinha planeado apresentar-vos para este fim-de-semana, afinal ainda na passada 6ª feira vos mostrei um bolo de chocolate, mas eu sei que se fizerem estes delicados e “gulosos” bolinhos fico automaticamente perdoada pois são ma-ra-vi-lho-sos!
Leiam a receita e digam-me lá se não são a coisa mais fácil de fazer? Eu se, eu sei… é um frete untar as formas, nesse caso aconselho o fantástico spray para o efeito, depois é só convencer o companheiro a lavar a loiça…


Usei:

1 Chávena de avelãs moídas (110g)
1 + 2/3chávena de açúcar em pó peneirado (250g)
½ Chávena de farinha peneirada (75g)
¼ Chávena de cacau peneirado (40g)
½ c chá de fermento
5 Claras de ovo
200g de manteiga derretida


Fiz assim:

Prepare cerca de 16 formas, untando-as e polvilhando-as com cacau.
Pré aqueça o forno a 180º.
Numa tigela junte, o açúcar, avelã, farinha, cacau e fermento e misture.
Deite depois por cima as claras de ovo e mexa até combinar, adicione a manteiga e misture novamente.
Verta a massa nas formas, enchendo apenas 2/3, e leve ao forno durante 15 a 20 minutos.
Desenforme e deixe arrefecer sobre uma grade.

Notas:

Aproveite as gemas para leite creme, ou gelado de baunilha, ou ainda doce de ovos que tem 1001 utilizações.

Ligeiramente adaptado de “Simple Essentials chocolate” de Donna Hay

quarta-feira, 20 de Janeiro de 2010

Creme de cogumelos

Mais um creme com cor e sabor de Inverno.
As sopas são o meu almoço preferido nesta estação do ano por isso há que variar e o creme de cogumelos ainda não tinha tido o seu merecido protagonismo neste blog.
Uma das coisas que mais me agrada nesta sopa é o facto de ser robusta sem ser pesada e acompanhada com umas fatias de pão torrado é uma delicia à qual eu não me nego.


Usei:

350g de cogumelos
(Usei: 150 brancos frescos, 150 portobello frescos e 50g porcini secos)
800ml de caldo de legumes
1 c sopa de farinha
1 Haste de tomilho
1 Chávena de leite
1 Cebola picada
Sal & pimenta
Azeite q.b.
1 Pitada de noz-moscada

Fiz assim:

Depois dos cogumelos limpos, e hidratados (se usar secos), corte-os em fatias.
Aqueça um fio de azeite e salteie os cogumelos temperando-os a meio com sal e pimenta, quando alourarem retire-os do lume e reserve.
Refogue ligeiramente a cebola, e adicione depois a farinha, mexa e adicione um pouco de caldo. Junte os cogumelos e 2/3 do caldo.
Reduza o lume e deixe fervilhar 10 minutos, junte as folhas de tomilho e a noz-moscada, rectifique o tempero e deixe ferver mais um pouco.
Triture com a varinha mágica, junte o leite e se necessário rectifique a consistência com mais um pouco de caldo, deixe aquecer e sirva polvilhado de tomilho.

Notas:

Para um sabor mais intenso, pode usar-se a água de hidratar os cogumelos, no entanto deve passar a mesma pelo passador, pois pode conter areia no fundo.

segunda-feira, 18 de Janeiro de 2010

Rolinhos de frango com espinafres a ameixas

Resultam sempre num visual de impressionar, estes rolos podem ter no recheio aquilo que mais nos agrada ou nos apetece no momento.
Estes são com espinafres e ameixas, mas a versão cenoura e noz é também das minhas preferidas, é um prato óptimo para incentivar as crianças a comer os legumes pois é sabido que mais do que nós as crianças comem com os olhos.
Usei:

4 Peitos de frango
1 Molho de espinafres
1 Chávena de ameixas secas sem caroço
1 Cebola picada
1 Dente de alho picado
Sumo de 1 limão
Sal & pimenta
1 c chá de cominhos
1 c chá de orégãos
Melaço de romã q.b. (ou mel)
Azeite q.b.

Fiz assim:

Abra os peitos do frango e espalme-os com a parte lisa do martelo de cozinha.
Tempere de sal, pimenta e sumo de limão.
Aqueça o azeite numa frigideira e amoleça a cebola e o alho, junte os espinafres picados e as ameixas também picadas. Deixe reduzir um pouco, tempere de sal e pimenta e retire do lume.
Distribua o recheio sobre os bifes, enrole e prenda com palitos ou com cordel de cozinha.
Coloque os rolos num tabuleiro untado de azeite, polvilhe com os orégãos e com os cominhos e regue com o melaço de romã.
Leve ao forno até dourar, virando a meio.


Notas:

Ou:
Coloque os rolos na actifry sem a pá giratória, programe 20 minutos e volte a meio.
Adaptado da revista Olive

sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010

Bolo pudim de chocolate

Acho que encontrei a receita ideal para quando me dá aquelas vontades incontroláveis de comer uma sobremesa de chocolate e não consigo esperar por doces demorados.
Este bolo pudim é uma delicia, fica com uma calda deliciosa no fundo enquanto quente e que depois de frio se transforma em creme.
È de preparação rápida e sem técnicas de doçaria complicadas e pode ser degustado morno… enfim, é o sonho de qualquer chocodependente!



Usei:

1 Chávena de farinha
1/3 Chávena de cacau
1 c chá de fermento
¼ c chá de sal fino
2 Ovos
1 Chávena de açúcar
¾ Chávena de leite
4 c sopa de manteiga derretida
2 c chá de extracto de baunilha

(calda)

1/3 Chávena de cacau
¾ Chávena de açúcar mascavado
1 + ½ Chávena de água a ferver

Fiz assim:

Unte um recipiente fundo com manteiga.
Pré aqueça o forno a 180º.
Peneire a farinha com o cacau, o fermento e o sal. Reserve.
Bata os ovos com o açúcar até obter uma mistura espumosa, junte o leite, a manteiga e a baunilha e bata mais um pouco.
Junte os ingredientes secos e misture bem.
Deite a massa no recipiente de forno.
Misture o restante cacau com o açúcar mascavado e dilua na água a ferver. Deite este líquido sobre a massa e leve ao forno durante mais ou menos 35 minutos.
Sirva morno ou frio com natas batidas ou uma bola de gelado.

Notas:

Use um cacau de boa qualidade e sem adição de açúcar, a escolha desse ingrediente é fundamental para o sucesso desta sobremesa que não fica muito doce.

Adaptado daqui.

quarta-feira, 13 de Janeiro de 2010

4 por 6 - Esparguete com ameijoas e aioli + Creme de abóbora com mostarda

Ao ler o menu do 4 po 6 de hoje até parece que estou a ser irónica, uma refeição de marisco por menos de 6€???
È verdade, é possível e é muito bom.
A ideia inicial surgiu perante o balcão da peixaria no supermercado, afinal um Kg de amêijoas não é caro mas como fazer render até alimentar 4? A solução foi lógica e simples, afinal massa e marisco são deliciosamente compatíveis.
Como entrada o delicioso
creme de abóbora tomilho e mostarda.
Está então na mesa o 4 por 6 desta semana.





Usei:

1Kg de amêijoas (congeladas tipo vietnamita)
400g de esparguete
Azeite q.b.
Sal & pimenta
2 Dentes de alho
1 Cebola pequena picada
Um pouco de vinho branco
Piripiri a gosto
Salsa picada

(para o aioli)

100ml de maionese
4 Dentes de alho

Fiz assim:

Refogue a cebola e o alho picado num fundo de azeite, junte as amêijoas e deixe suar até abrirem.
Tempere de sal, pimenta, piripiri e regue com um golo de vinho branco, deixe apurar um pouco e polvilhe com a salsa picada.
Esmague os alhos e misture com a maionese.
Coza o esparguete em abundante água com sal respeitando o tempo de cozedura indicado na embalagem.
Escorra o esparguete e envolva no molho das amêijoas.
Sirva acompanhado do molho.



Substitua a mostarda em grão, por mostarda à moda antiga com grãos.



Vamos a contas:


Dica de poupança:

Quando lavar os legumes sobre água corrente, coloque uma bacia no lava-loiça a fim de reter a água usada, use essa água para regar as plantas ou para lavar o chão.

segunda-feira, 11 de Janeiro de 2010

Frango tikka masala

Não foi um presente de Natal, foi ainda mais especial.
Especial porque não esperava, e porque no mais intimo do meu ser eu já desejava há muito tempo ter uma fritadeira que frita quase sem gordura. Sim porque eu gosto muito de batatas fritas, mas por favor das congeladas não…..
E é tudo verdade o que se diz das tais fritadeiras, as batatas ficam que é uma delícia, mas, (e esta eu não sabia, sou mesmo antiga), podem-se preparar outros pratos! E este foi o teste piloto das potencialidades da máquina. Agradou bastante a todos e a mim não me deu trabalho nenhum.
Em primeiro plano a receita no seu método tradicional de confecção, nas notas finais a descrição de como foi feita na actifry.


Usei:

3 peitos de frango em cubos
1 iogurte natural
3 c sopa de pasta tikka masala
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
1 pedaço de gengibre ralado
óleo de sésamo ou girassol q.b.
100g de tomate pelado picado
1 c sopa de pasta tikka masala
100 ml de leite de coco
coentros picados
sal a gosto

Fiz assim:

Misture os pedaços de frango com o iogurte e as 3 c sopa de pasta tikka masala e deixe a marinar durante pelo menos 30 minutos. (Quanto mais tempo mais aromático e macio).
Leve ao lume o óleo e quando aquecer junte a cebola, o alho, o gengibre e a pasta restante.
Assim que a cebola amolecer junte o frango e a marinada, envolva bem e deixe apurar um pouco, junte depois o tomate e deixe em lume brando até a carne ficar macia, junte “golos” de água se começar a secar muito.
Um pouco antes de terminar, junte o leite de coco deixe retomar fervura, rectifique os temperos e sirva polvilhado de coentros.
Acompanhe com arroz.

Notas:

Modo de preparação na Actifry:
Deite na cuba da fritadeira a cebola, o alho, o gengibre e a restante pasta. Regue com meia colher de óleo e programe 35 minutos.
Passados 5 minutos junte o frango, a marinada e o tomate.
Quando faltarem 3 minutos para terminar o tempo junte o leite de coco.
Polvilhe com os coentros picados.

Adaptado de Jamie Oliver

Nota da autora para a família e amigos mais próximos:
Por favor não deixem que me entusiasme demais com as máquinas, não elogiem os cozinhados na actifry, eu não quero um dia acordar a desejar ter um robot ou um ciborg de cozinha ou lá o quê. Por favor……

sexta-feira, 8 de Janeiro de 2010

Pudim de pão com xarope de bordo

Tenho muita sorte em ter uma tia e uma madrinha no Canadá que sempre que cá vem me trazem o verdadeiro e precioso xarope de ácer, ou xarope de bordo mais conhecido por maple syrup.
Por cá o seu preço é assustador e a autenticidade duvidosa, mas se é um dos que como eu tem sempre ao dispor este delicioso néctar não deixe de fazer esta sobremesa tão fácil como deliciosa, e que para além disso é óptima para usar as sobras dos pães doces das festas, como por exemplo o Panetone ou o bolo rei.


Usei:

4 Ovos
200 ml de natas
200 ml de leite
½ Chávena de xarope de ácer (maple syrup)
1/3 Chávena de açúcar mascavado
Miolo de noz picado grosseiramente, a gosto
200g de pão-de-leite com pepitas de chocolate, ou outro pão doce
Xarope de ácer extra para regar

Fiz assim:

Bata os ovos com o açúcar até obter uma mistura espumosa, junte o xarope de ácer, as natas e o leite e bata mais um pouco até obter uma mistura homogénea.
Deite dentro dessa mistura o pão partido em pedaços e deixe a repousar até estar ensopado.
Deite num recipiente de forno levemente untado com manteiga e por cima espalhe o miolo de noz. Regue com mais um pouco de xarope de ácer e leve ao forno pré aquecido a 180º durante mais ou menos 30 minutos.
Sirva morno ou frio.

Notas:

Tipo de pão que se podem usar: brioche, pão de passas, pão de deus, pão de leite, pan d’épices, bolo rei, bolo inglês, ou simplesmente o pão da sua preferência.
Pode também usar sobras de pão normal, aumente um pouco a quantidade de açúcar e de xarope.

Adaptado daqui.

quarta-feira, 6 de Janeiro de 2010

Sopa gratinada de cebola à francesa

Sem dúvida que no Inverno uma sopa quente é um bálsamo para o corpo e para o espírito, tudo parece mais leve depois de se tomar uma tigela de sopa fumegante.
Esta em particular é sempre uma sopa de Inverno, pelo menos cá em casa, deve ser por ser servida em tigela bem quente vindo direitinha do forno e com o queijo a borbulhar, apetece aquecer as mãos em volta da tigela enquanto se aspira o delicioso aroma…


Usei:

50g de manteiga
3 c sopa de azeite
650g de cebolas roxas
1 c chá de açúcar
sal & pimenta q.b.
1 + ½ c sopa de farinha
500 ml de caldo de legumes (o original pede caldo de carne)
4 c sopa de conhaque
Queijo gruyére para gratinar

(para os croûtons)

fatias de pão
1 dente de alho

Fiz assim:

Leve a manteiga e o azeite ao lume, quando estiver quente deite as cebolas cortadas em meias luas finas, o açúcar e um pouco de sal. Misture muito bem e assim que as cebolas amolecerem reduza o lume, tape o tacho e deixe as cebolas suarem durante 20 ou 30 minutos até ficarem douradas. De início mexa de vez em quando, depois só ocasionalmente até caramelizar as cebolas.
Polvilhe com a farinha e deixe cozer mais 2 minutos mexendo sempre.
Adicione o caldo a ferver, e deixe fervilhar 15 minutos.
Entretanto, torre as fatias de pão e esfregue ainda quentes com o alho.
Rectifique a consistência da sopa com mais caldo se necessário, junte o conhaque, tempere de pimenta e rectifique o sal.
Pré aqueça o forno a 200º.
Coloque fatias de pão no fundo das tigelas, coloque um pouco de sopa por cima e polvilhe com o queijo ralado.
Leve ao forno a gratinar.


Notas:

As cebolas podem ser caramelizadas em forno lento e em recipiente tapado.
Como esta operação pode ser feita em avanço, pode por isso aproveitar o forno enquanto prepara uma outra receita.
O Gruyére pode ser substituído por parmesão ou emental.

Fonte: “Cozinha francesa” da Parragon

segunda-feira, 4 de Janeiro de 2010

Entremeada no forno com sementes de funcho e alecrim

Como peça inteira a entremeada é muito popular no Reino unido enquanto que por cá é quase exclusivamente usada em fatias e grelhada na brasa, ou então depois da carne fumada é mais conhecida por bacon.
Depois de lentamente assada no forno, fica deliciosamente húmida e a pele estaladiça.
Não é fácil fazer os cortes na pele extremamente dura da barriga do porco, eu para esse efeito tenho um bisturi que “pedinchei” a uma enfermeira simpática numa da minhas idas ao hospital, quase que vale a pena ser uma cliente habitual como eu, he, he, he…




Usei:

1,5 Kg de entremeada inteira
4 Dentes de alho
2 Hastes de alecrim (só folhas)
2 c chá de sementes de funcho
Azeite q.b.
4 Cebolas
250 ml de vinho branco
Sal


Fiz assim:

Corte a pele da entremeada de maneira a formar pequenos losangos. (Se não tiver uma lamina bem afiada e fina peça ao seu talhante para o fazer).
Coloque a entremeada no lava-loiça com a pele virada para cima e deite-lhe uma chaleira de água a ferver, desta maneira a pele encolhe e os cortes da pele vão abrir de maneira a receberem melhor o tempero.
No almofariz coloque o alho, o sal, as sementes de funcho e as folhas de alecrim, esmague muito bem e depois junte um pouco de azeite até formar uma pasta.
Esfregue toda a peça de carne com esta pasta e deixe a marinar no frigorífico durante umas horas.
Pré aqueça o forno a 220º.
Corte as cebolas em fatias e coloque-as no fundo de um tabuleiro de lados altos, regue com o vinho e por cima coloque a carne.
Coloque no forno mantendo a temperatura alta durante os primeiros 30 minutos, ao fim desse tempo reduza a temperatura para 160º e deixe assar lentamente durante 3 horas.
Retire do forno e embrulhe a peça em papel de alumínio até amornar.
Sirva cortado em fatias e acompanhe com o molho de cebolas.


Notas:

Se pretender um molho mais rico aumente para o dobro a quantidade de vinho, depois da peça assar separe as cebolas e coloque todo o liquido que se formou e mais os sucos da carne num pequeno tacho, adicione 1 c sopa de farinha e mexa muito bem até engrossar um pouco.

Fonte: Revista Olive de Jan. 2010

sexta-feira, 1 de Janeiro de 2010

Sonhos

Os meus doces preferidos nos dias frios de Inverno são os doces fritos típicos das festas de fim de ano.
A minha avó que me conhecia como ninguém, quando nos vinha visitar ao Ribatejo levantava-se de madrugada para ir à padaria comprar massa do pão que ao chegar a casa tendia em forma de filhós e fritava para o meu pequeno almoço, eu ia para o liceu reconfortada e feliz.
Estes sonhos são uma receita da minha mãe, fácil de fazer e sem ingredientes complicados fazem as minhas delícias e enchem a minha cozinha de boas recordações.


Usei:

200g de farinha
1 c chá de fermento
2 dl de água
60g de açúcar
75g de manteiga
1 Tira de casca de limão
4 Ou 5 ovos
Açúcar e canela para polvilhar
Óleo para fritar

Fiz assim:

Num tacho, leve ao lume a água com o açúcar, a manteiga e a casca de limão.
Deixe fervilhar até o açúcar dissolver.
Retire a casca de limão e deite a farinha peneirada com o fermento no tacho de uma vez só, mexa rapidamente com uma colher de pau até formar uma bola que se despegue do fundo do tacho.
Retire do lume e deite a massa sobre a pedra para arrefecer um pouco.
Coloque a massa na tigela da batedeira e usando o gancho de massas pesadas vá adicionando os ovos um a um, raspando de vez em quando os lados da tigela com uma espátula.
Depois de incorporar 4 ovos, e se for necessário adicionar o quinto, bata-o dentro de uma tigela e vá adicionando a pouco e pouco, pode não ser necessário usar o ovo inteiro.
Aqueça o óleo numa frigideira funda até aos 180º.
Deite colheradas de massa no óleo quente e deixe fritar até dourar.
Se os sonhos por si só não se virarem deite-lhes colheres de óleo quente por cima.
Retire com uma escumadeira, escorra sobre papel absorvente e polvilhe de açúcar e canela.

Notas:

Em vez de polvilhar os sonhos com açúcar e canela, pode mergulha-los numa calda de açúcar aromatizada com um pau de canela.