sexta-feira, 31 de Dezembro de 2010

Bolo de chocolate branco e amêndoa

A minha opinião sobre o chocolate branco continua inabalável, é bom mas não é chocolate.
Este bolo, foi feito sem grandes expectativas e no entanto agradou-me (e aos outros gulosos) bastante. Muito se deve á consistência da amêndoa na massa mas o sabor é bastante delicado sem ser enjoativo, pois é sabido que o chocolate branco é extra doce.
Com votos de ano novo cheio de coisas boas, cá fica a receita.

Usei:

250g de chocolate branco de culinária
½ chávena de manteiga sem sal
½ chávena de açúcar
5 ovos
¾ de chávena de amêndoa moída (aperte bem ao medir)
1 c sopa de sementes de papoila (opcional)

Fiz assim:

Bater as claras em castelo firme e reservar.
Derreter o chocolate picado com a manteiga em banho-maria.
Bater as gemas com o açúcar até obter um creme fofo e esbranquiçado.
Incorporar o chocolate delicadamente, e finalmente juntar as claras em castelo intercalando com a amêndoa e as sementes se as incluir.
Vai ao forno pré aquecido a 180º em forma de anel com o fundo forrado com folha vegetal e untada, durante mais ou menos 25 30 minutos.
Deixe arrefecer completamente antes de desenformar.

Notas:

Usei sementes de papoila mas a textura granulada da amêndoa dispensa a companhia das sementes.
Ligeiramente adaptado
daqui.

terça-feira, 28 de Dezembro de 2010

Costeletas no forno com legumes

Os assados são uma presença assídua na minha cozinha, ainda para mais com esta vaga de frio o calor do forno faz ainda mais da cozinha um lugar de aconchego.
Esta receita é daquelas que surgem do improviso e da necessidade de dar um destino a uma quantidade enorme de legumes, mas isso não a diminui, pelo contrário, gostei tanto do resultado que vai fazer parte do repertório a partir de agora.


Usei:

6 Costeletas do lombo
4 Cabeças de nabo pequenas
2 Courgettes
2 Cenouras
1 Alho francês
2 Hastes de tomilho
½ Chávena de polpa de tomate
1 Chávena de vinho
Sal & pimenta

Fiz assim:

Corte o alho francês em rodelas grossas e lave em água corrente. Escorra.
Descasque as cenouras e as cabeças de nabo e corte em cubos.
Lave as courgettes e corte em meias luas.
Disponha os legumes num recipiente de forno, salpique com o tomilho e regue com a polpa de tomate diluída no vinho. Tempere com um pouco de sal e pimenta, cubra com folha de alumínio e leve ao forno pré aquecido a 180º durante mais ou menos 40 minutos.
Retire do forno e coloque as costeletas “aninhadas” nos legumes, volte a colocar no forno, desta vez com o recipiente destapado e deixe ficar até a carne estar pronta.
(O tempo vai depender da grossura da carne).

Notas:

Se sobrarem legumes assados, coloque numa cocotte, abra uma cova no meio e coloque um ovo. Leve ao grill do forno até o ovo escalfar.
Sirva com pão torrado.

quinta-feira, 23 de Dezembro de 2010

Bolo de ananás á moda antiga

Este bolo teve a sua época de sucesso nos anos 80.
Não havia festa, copo de água ou lanche de aniversário onde o bolo de ananás não marcasse presença.
Alternava entre a forma redonda barrada de caramelo, e a forma rectangular; aqui era posteriormente embebido em calda e acompanhado de natas batidas, às vezes aparecia com cerejas nos buracos das rodelas de ananás.
Não sei se conseguem perceber pelo meu discurso que o bolo de ananás já me enjoava.
Pois é, enjoava mas não pelo sabor, que eu até gosto bastante, enjoava sim pela falta de imaginação, porque no fundo no fundo eu mantinha a esperança de que um dia alguém iria ter a feliz ideia de fazer um bolo de chocolate.
Resgatado do meu caderno de receitas de 198(e qualquer coisa), hoje apeteceu-me bolo de ananás.

Usei:

1 Lata de ananás em calda
5 Ovos
200g de açúcar
200g de manteiga
300g de farinha
1 c chá de fermento
2 c sopa da calda do ananás

Fiz assim:

Retire o ananás da lata e deixe a escorrer. Reserve a calda.
Com 250g de açúcar faça o caramelo
Distribua o caramelo pela forma (lados inclusive) e forre com as rodelas de ananás.
Bata o açúcar com a manteiga amolecida até obter uma mistura cremosa.
Adicione os ovos um a um batendo bem entre cada adição. Junte a calda e finalmente envolva a farinha peneirada com o fermento.
Deite a massa na forma, alise por cima, e leve ao forno pré aquecido a 180º durante mais ou menos 45 minutos.

Notas:

Prove a calda do ananás antes de a adicionar á massa do bolo, algumas marcas têm um sabor muito mau, neste caso é preferível aromatizar o bolo com extracto de baunilha.

terça-feira, 21 de Dezembro de 2010

Pataniscas de courgette


Courgette outra vez!
Pois é a rainha courgette está de volta, e desta vez em forma de pataniscas.
È muito vulgar quando vou ás compras parar na banca dos legumes e perante o que há, fazer mentalmente a lista de refeições e acompanhamentos, e assim comprar mais ou menos de maneira que não sobra. Mas há aquelas coisas que vão bem de qualquer maneira como é o caso dos espinafres, os pimentos e claro, a courgette e mesmo sem destino traçado á partida acabam por vir na cesta.

Usei:

2 Courgettes grandes
150g de farinha
1 c chá de fermento
1 c sopa de azeite
Sal & pimenta
2 ovos
150 ml de leite

Fiz assim:

Rale as courgetes o mais grosso possível.
Saltei na frigideira com um fio de azeite até amolecer. Coloque num passador e deixe a escorrer o excesso de liquido.
Peneire a farinha com o fermento e abra uma cova ao meio, deite os ovos, o azeite e o leite e envolva tudo num polme grosso.
Junte a courgette e tempere de sal e pimenta.
Frite colheradas em óleo bem quente, e deixe a escorrer sobre papel de cozinha.

Notas:

Se necessário, ajuste a consistência da massa com mais farinha ou leite.
O aspecto é o de um polme grosso mas que escorre da colher.

Adaptado de : " Sabores da Provença" da DK

quinta-feira, 16 de Dezembro de 2010

4 por 6 - Roupa velha de frango + maçã assada



Com a reabertura do Tachos voltaram as sugestões económicas do 4 por 6.
A ementa de hoje é bem ao gosto português, quem não gosta de um guisado lento onde a carne fica bem macia e os sabores intensamente apurados?!
A confecção deste prato é tão fácil que a poupança aqui não é só em € é também em tempo e trabalho.
Para sobremesa, umas maçãs assadas e apenas polvilhadas de açúcar e canela antes de entrarem no forno quando o prato principal termina.

Está então servido o 4 por 6 de hoje




Usei:

1 Frango
6 batatas
sal & pimenta
2 raminhos de tomilho
1 folha de louro
150g de bacon em cubos
1 cebola
1 cenouras
1 cerveja mini

Fiz assim:

Pré aqueça o forno a 180º.
Corte as batatas, as cenouras e a cebola em rodelas.
Disponha as cebolas e metade das batatas no fundo de um recipiente de forno, por cima coloque o frango em pedaços, o bacon e as ervas, tempere de sal e pimenta.
Cubra com as cenouras e finalmente as restantes batatas.
Volte a polvilhar com um porco mais de pimenta e sal e regue com a cerveja.
Cubra com folha de alumínio e deixe no forno até a carne estar tenra.
Destape e deixe as batatas alourarem.

Vamos a contas:







Dicas de poupança:

Compre sempre frango inteiro pois é muito mais barato.
Se não usar os miúdos, use-os para fazer caldo.

Adaptado de : “Guisados e sopas” da Parragon

terça-feira, 14 de Dezembro de 2010

Bolo de café com leite


Este foi sempre o bolo presente nos lanches da minha infância.
Não sei onde a minha mãe o aprendeu a fazer, é daquelas receitas que se fazem até se lhe perder a conta.
O motivo para a minha mãe fazer este bolo era sempre o mesmo, só leva um ovo. E quando a minha paixão pela cozinha me começou a consumir, eu sonhava que ainda um dia iria fazer bolos com dúzias de ovos, é claro que nessa atura o colesterol não fazia parte das minhas preocupações.



Usei:

250g de açúcar amarelo
1 Chávena de café com leite (forte e aromático)
1 c chá de canela
250g de farinha
1 c chá de fermento
Raspa de 1 limão
1 Ovo
Miolo de noz a gosto

Fiz assim:

Bate-se o açúcar com o ovo até obter uma mistura cremosa.
Junta-se o café com leite, canela e a raspa de limão. Mistura-se bem.
Incorporam-se as nozes e finalmente adiciona-se a farinha peneirada com o fermento.
Deita-se a massa em forma untada de manteiga e polvilhada de farinha, e vai ao forno previamente aquecido a 180º, durante mais ou menos 40 minutos.
Confirme a cozedura com um palito, e deixe arrefecer sobre uma grade antes de desenformar.

Notas:

Se usar a batedeira para a mistura de açúcar e ovo, o bolo fica mais leve e fofo.
Se pelo contrario preferir o bolo com uma consistência mais “enqueijada”, bata o açúcar e o ovo com colher de pau.

quinta-feira, 9 de Dezembro de 2010

Risoto de abóbora manteiga

Esta receita não merecia ter ficado esquecida no meu arquivo digital, mas ficou.
A foto foi das que sobraram da antiga máquina fotográfica, (snif…), e só no dia da limpeza é que a encontrei.
Quando tenho legumes “assáveis” (não sei se esta palavra existe, mas devia), faço uma fornada e deixo-os a meio preparo para pratos futuros. Este risoto nasceu de uma dessas fornadas, e é uma delícia.



Usei:

½ Abóbora manteiga assada e reduzida a puré
1 Chávena de arroz de arbóreo
1 Cebola pequena
1 Fio de azeite
½ Chávena de vinho branco
folhas de sálvia a gosto
½ Chávena de parmesão ralado
Caldo de legumes que baste
Sal & pimenta

Fiz assim:

Coloque o azeite no tacho, e quando estiver quente deita as folhas de sálvia. Deixe-as fritar ligeiramente, retire e reserve.
Deite no mesmo azeite a cebola picada e deixe amolecer, junte o arroz e mexa até começar a ficar translúcido. Refresque com o vinho e mexa até absorver, a partir daqui vá deitando conchas de caldo quente e mexa com colher de pau, adicione a concha de caldo seguinte quando a anterior tiver sido absorvida. Repita até o arroz estar a meia cozedura.
Junte o puré de abóbora, tempere se sal e pimenta, (tenha em consideração que o queijo é salgado), e envolva, deite mais caldo até terminar a cozedura, o que demora mais ou menos 20 minutos. Junte o queijo ralado, envolva e sirva decorado com as folhas de sávia.

Notas:

Asso os legumes no forno envolvidos em folha de alumínio, ou em saco próprio para o efeito.
Podem ser assados desta forma: abóbora, beterraba, pimentos, cabeça de nabo, batata, cenoura, etc.

terça-feira, 7 de Dezembro de 2010

Bola de courgette e emental


Antes da receita que abre a nova temporada do Tachos de Ensaio, uma pieguice:
Muito, muito, mas mesmo muito obrigada pelas mensagens e telefonemas de encorajamento pelo regresso a este espaço. È mesmo muito gratificante saber que alguém está desse lado.
Ok, agora as comezainas:


Este cake, bola, ou bolo salgado é daqueles pitéus que sabem bem ter à disposição nas tardes mandrionas de fim-de-semana.
È um bolinho húmido como eu gosto, e como sempre digo: a courgette nunca me deixou ficar mal.
È óptimo acompanhado com uma salada, e é muito prático para almoços fora de casa.

Usei:

200g de farinha
1 c chá de fermento
3 ovos
50 ml de azeite
50 ml de óleo de girassol
1 courgette média (+ ou – 250g)
150g de queijo emental ralado
1 iogurte natural diluído num pouco de leite
1 c chá de orégãos secos
Sal & pimenta

Fiz assim:

Lave a courgette, rale-a no ralador grosso e esprema-a num passador para retirar o excesso de líquido.
Com uma vara de arames, bata os ovos com o azeite, o óleo e o iogurte. Tempare de sal e pimenta.
Junte a farinha peneirada com o fermento e misture bem de modo a não ficar com grumos.
Por fim, adicione a courgette, o queijo e os orégãos e misture com colher de pau.
Verta a massa numa forma de bolo inglês, e leve ao forno previamente aquecido a 180º durante aproximadamente 50 minutos.
Deixe arrefecer sobre uma grade antes de desenformar.

Notas:

Pode substituir os orégãos por outra erva da sua preferência, na receita original era indicado hortelã pimenta, mas nesta época do ano as minhas ervas estão na defensiva contra o clima.

Adaptado de : “Quiches, cakes & compagnie” da Marabout

segunda-feira, 6 de Dezembro de 2010

Vamos lá limpar as teias!


Depois de uma ausência muito mais longa do que a principio seria de prever, cá estou eu de espanador na mão e de lenço na cabeça para expulsar de vez as teias e o pó que por aqui se acumularam.

Muita coisa aconteceu neste entretanto:

- Ficou por assinalar o 3º aniversário do Tachos de Ensaio.
- Foram confeccionadas 3 mantas Afegãs enquanto as panelas fumegavam no fogão.
- Consumiram-se litros de sopa como prato principal.
- Fez-se luto pela máquina fotográfica que já sabia de cor como captar as imagens que eram mostradas no Tachos.

Enfim… Seja como for, está na altura de seguir em frente, façam assim conta com a rentrée do Tachos de Ensaio já a partir de amanhã. Uma rentrée que embora não tenha sido planeada milimetricamente irá em principio sofrer ajustes nas periodicidades das publicações, começarei por publicar às terças e ás sextas, espero assim conseguir gerir melhor o meu tempo que inevitavelmente se divide entre outras paixões.
A essência do Tachos de Ensaio essa permanecerá inabalável, continuarei a dar, (na maior parte das vezes), a minha visão de comida caseira e tradicional com um “twist”.

Obrigado por estarem aqui!